Nota de prensa
Meta 4

  • Pensamento estratégico, disposição para assumir riscos e pensamento analítico são algumas das qualidades que, segundo a Meta4, os profissionais de RH devem assumir para liderar a digitalização de talento nas suas organizações

Lisboa, 31 de Janeiro de 2018 -A transformação digital requer uma mudança de paradigma na qual todos os funcionários, áreas e responsáveis máximos de uma empresa estão envolvidos. Os novos desafios colocados por este ambiente empresarial obrigam os líderes de Recursos Humanos a adotar novas habilidades e conhecimentos. Segundo revela a  Meta4, líder mundial em soluções de gestão e desenvolvimento de capital humano,   são dez as características fundamentais que os profissionais de RH devem assumir para liderar a digitalização de talento nas suas organizações:

  1. Pensamento estratégico. Na era digital em que vivemos, o talento tornou-se um elemento fundamental de diferenciação para as empresas e é a chave para o sucesso. Com isto, líderes e diretores de RH devem adoptar um pensamento estratégico com o objetivo de capturar, reter e desenvolver os melhores profissionais.
  2. Curioso, ágil e com capacidade de aprendizagem.O ritmo da transformação tecnológica e avanços de inovação exigem aos líderes de RH uma constante necessidade de aprendizagem para identificarem e incorporarem tendências que levem a novos desafios e oportunidades, bem como para incentivar á investigação. Da mesma forma, devido à velocidade dos atuais ciclos de vida de produção, entrega de produtos e serviços, os processos de RH devem ganhar agilidade para se adaptarem a este novo ritmo.
  3. Disposição para assumir riscos. A função actual de Recursos Humanos vai para além de tarefas administrativas, assume agora também um papel nas decisões estratégicas de maior risco na empresa. O líder de recursos humanos digital deve compreender as necessidades do negócio e apresentar soluções com valor acrescentado.
  4. Habilitador e não controlador. O surgimento da Cloud Computing e ferramentas sociais foi inicialmente uma preocupação para a área de recursos humanos. No entanto, além de focar o seu papel no controlo de processos ou questões regulatórias, os RH devem entender a tecnologia como um grande facilitador para alcançar os melhores resultados nas suas organizações. A implementação de MOOCs para uma aprendizagem flexível, ferramentas de colaboração online ou mecanismos de feedback, irão gerar enormes benefícios para as empresas.
  5. Visão de futuro. No mundo digital, os líderes de recursos humanos desempenham um papel fundamental na identificação de oportunidades futuras, proporcionando às organizações as ferramentas necessárias para responder às necessidades que o mercado exige. Motivar o relacionamento das empresas com os seus potenciais candidatos, “pool de talentos”, antes do início do processo de seleção ou sucessão, serão questões fundamentais para reduzir a perda de oportunidades quando existirem vagas em posições críticas.
  6. Alinhado com os objetivos do negócio. A inclusão do Diretor de Recursos Humanos em comités de gestão é uma aposta cada vez mais estratégico para cumprir os objetivos de negócio das organizações. No entanto, muitos líderes de RH “falham” neste especto pelo que, as empresas optam por incorporar profissionais de outras áreas no desempenho do lugar de CHRO.
  7. Pensamento analítico. O líder digital de RH deve ter conhecimentos tecnológicos e analíticos para aproveitar o enorme potencial dos dados dos funcionários da sua organização. Ter um pensamento analítico é fundamental para superar muitos dos desafios relacionados com compromisso, liderança, aprendizagem e seleção que terá pela frente durante os próximos anos.
  8. Transparência e autenticidade. Na era digital, todos temos acesso a informações sobre qualquer empresa ou produto, o que leva a uma oportunidade mas também uma necessidade de validar a autenticidade daqueles que nos lideram.
  9. Empático. Como pioneiros na era digital, os líderes de RH devem levar o humanismo e a sensibilidade às empresas para favorecer o equilíbrio entre o mundo digital e o mundo real. Devem ser capazes de fazer o trabalho mais humano, racional e simples, implementado políticas direcionadas para o cuidado e bem-estar dos funcionários em paralelo.
  10. Capacidade de negociação. Por último, os líderes digitais de RH precisam de aplicar manobras políticas e de negociação para garantir os recursos necessários que permitam desenvolver o talento nas suas organizações. O investimento em cursos de formação e liderança e em soluções tecnológicas de RH, são aspetos críticos para a evolução das empresas.